O suicídio de pastores: Pregador, Deus tem espaço na tua agenda?


Quando eu olho para a agenda de alguns pregadores eu sempre penso, estes caras estão tão ocupados em pregar, será que eles tem tempo para escutar a Deus? Alguns tem muitos projetos, mas será que Deus ainda é o projeto da sua vida? Um erro muito comum quando nos envolvemos no ministério - supondo que realmente tenhamos sido chamados por Deus - é justamente ministrar demais e ser ministrados de menos. Esta creio que é uma das causas pelas quais muitos pastores e pregadores hoje em dia chegaram ao suicídio, e outros muitos estão cogitando esta hipótese. Aliás, para muitos crentes este é um pensamento recorrente, infelizmente. Em alguns casos (não em todos) isto pode ser de causa espiritual, você pode estar carregando um peso maior do que é capaz de suportar, culpas, medos, angústias, sentimentos de cobrança, que você precisa deixar aos pés da cruz e apenas confiar no Senhor como seu Salvador. Jesus salva os que não podem se salvar, se pudéssemos nos salvar que necessidade haveria de um Salvador? Veja bem e tome cuidado quando as tuas "preocupações cristãs" estiverem passando a tua preocupação pelo próprio Cristo. A maioria das questões que eu recebo são de pessoas querendo saber todos os podes e não podes da bíblia, presas aos mais variados tipos de detalhismos teológicos, querendo entender as maiores minúncias da palavra de Deus. Eu nunca me lembro de ter recebido algum e-mail de alguém me dizendo "eu quero Deus", "eu quero Jesus". Sei que estou exagerando, já devo ter recebido alguns assim sim, mas a maioria esmagadora é apenas de pessoas querendo saber o que pode e o que não pode fazer. Eles querem saber todas as "regras de Deus" enquanto nem percebem que estão frios e indiferentes para com o próprio Deus. Ah, querer saber e até mesmo seguir muitas regras pode te dar uma grande aparência de piedade, mas muitas vezes por trás de toda esta aparência estão as maiores geladeiras espirituais da face da terra! Há pessoas que pregam duro contra o pecado, tão duro quanto são os seus próprios corações para com Deus! São pregadores que passam a impressão de fervor espiritual, os fariseus eram assim, mas na verdade estão perdidos em sua própria presunção! Oh, ninguém pregou mais duro do que o Senhor Jesus contra o pecado, e também nenhum coração foi mais terrívelmente terno e misericordioso do que o dele, ao tal ponto que muitos dos pecadores vinham até ele! Eles souberam de algum modo que aquela repreensão vinha de alguém que os amava dum jeito que eles até então desconheciam! A repreensão carnal praticamente demonstra um ódio e indiferença para com o pecador, trás um ar de superioridade, algumas vezes ela funciona, alguém ouve a coisa errada e entende a coisa certa, digo, lembra de Jonas pregando em Nínive? Deus realmente mandou ele ir lá e pregar, ele foi e pregou a mensagem certa, mas o seu coração era frio e indiferente para com os ninivitas, mesmo assim deu certo, Deus achou um espaço e a mensagem do Senhor penetrou aqueles corações, não por causa de Jonas, mas apesar dele. Depois ao final do livro Deus trata com o profeta e a sua indiferença para com o povo e lhe mostra a misericórdia de Deus para com Ninive. Jonas só conhecia até então o juízo do Senhor contra o pecado, e isso o fez odiar os pecadores na sua própria ira humana. Mais tarde Deus lhe mostrou também a sua misericórdia enquanto ele pretendia assistir de camarote a destruição de Ninive, o Senhor havia se compadecido duma cidade arrependida. O capítulo 4 do livro de Jonas é muito revelador neste sentido, algumas vezes o peso, a culpa e a condenação que você colocar sobre os outros pode recair sobre você "só um pouquinho" para você aprender a ser mais misericordioso. Aprender a ter a misericórdia na medida certa. Há muitos cristãos que estão presos hoje em dia pelas suas próprias línguas e quando pararem de amaldiçoar os pecadores - como se eles mesmos não fossem também pecadores - verão como a liberdade do seu coração brotará. No dia em que pararem de ser amargurados com as pessoas e somente perdoar elas e amar elas, ter paciência com elas ao invés de querer forçá-las a "aceitar Jesus", então a mensagem do evangelho em suas vidas resplandecerá de verdade. Jonas sentiu ali um pouquinho do gosto da morte que ele desejava aos ninivitas, e aquilo ali era apenas ele provando o próprio veneno amargo que havia em sua alma. Ao que parece ao final do livro vemos que o Senhor ganhou a cidade de Ninive, e também conquistou a alma cansada e amargurada de Jonas, que deve ter saído dali com um amor renovado em Jesus pelas palavra do Altíssimo que lhe foram dirigidas. O amor de Deus pode quebrar o coração mais duro da face da terra que para Ele se abre. O livro de Jonas para mim é muito especial, acho que todos nós em algum momento de nossas vidas podemos nos identificar muito com ele.

Irmãos, esqueçam as preocupações com as 'coisinhas', preocupem com Jesus, o demais Ele coloca no lugar no tempo certo!
Share on Google Plus

Sobre Altar de Arrependimento

Nosso intuito é pregar o Evangelho de Jesus Cristo gratuitamente, sem pedir ofertas, sem falar em dinheiro, levando o conhecimento de Cristo a todos de graça e pela graça que nos foi dada pela Cruz e pelo Sangue do Nosso Senhor Jesus. Nosso foco é preparar o caminho, preparar um povo para a volta do Senhor Jesus em Arrependimento e Santidade pelo Poder do Espírito Santo de Deus, para a Glória de Jesus e do Pai em Seu Filho Amado a quem nós também amamos, recebemos e ouvimos como Único Deus Senhor e Salvador.