Não julgue uma pessoa pelas suas redes sociais


A sede de pregar o evangelho e anunciar as boas novas de Jesus consome muitos corações, e é uma coisa boa de se fazer, no entanto como todas as coisas necessita do envio da parte de Deus. Se fôssemos parar para pensar no tamanho do alcance que tem as redes sociais poderíamos julgar que todos nós deveríamos usá-las para anunciar a palavra de Deus, e eu creio que ela pode e deve ser anunciada utilizando as redes sociais. No entanto você precisa compreender uma coisa, será que você está preparado para o tamanho da exposição que isso poderá trazer a sua vida? As redes sociais permitem comentários e o acesso de multidão de pessoas, algumas vezes os comentários são verdadeiras guerras, e pessoas mais sensíveis podem se prejudicar e muito emocionalmente e espiritualmente com os ataques que sofrerão nos comentários. Se você tem uma pequena igreja e não tem rede social alguma dela, então tudo que acontecer ali ficará restrito ao convívio de poucos irmãos, mas quando você abre redes sociais e posta indiscriminadamente qualquer coisa por ali, então você está abrindo aquilo não só para o Brasil mas para o mundo todo. Esta exposição toda terá com certeza impactos e reflexos emocionais e espirituais sobre a sua vida e não estou exagerando, pela minha pequena experiência em aconselhamento e viver cristão, se eu te disser que algumas pessoas entre nós simplesmente não estão preparadas para o tipo de exposição que as redes sociais podem lhe dar. Cantores, pregadores, que começam a sofrer dos mesmos tipos de pressões que artistas seculares sofrem. Todos sabemos que as redes sociais são uma mentira, é fácil ir e escolher a melhor foto, o melhor versículo, pensar dez mil vezes antes e postar alguma coisa, de como falar, entonação que usar, como escrever para causar maior impacto. É fácil querer dar uma aparência de espiritualidade a uma página do facebook, e é fácil as pessoas super-valorizarem a espiritualidade das outras e as colocarem num pedestal.

Uma vez eu vi um pregador falando sobre o ideal cultural de beleza feminina, e ele citou uma modelo muito famosa chamada Cindy Crawford, uma vez numa entrevista lhe perguntaram que recado ela gostaria de dar para as mulheres, e ela foi e disse "nem a Cindy Crawford é igual a Cindy Crawford". Um computador com Photoshop transformaria uma mulher até mesmo numa zebra se o cara for bom! Então vivemos nas redes sociais e mídia uma cultura de mentira, e muitas mulheres eram fascinadas pela "beleza" da Cindy e ela mesma tinha consciência que tudo aquilo ali era apenas truques de maquiagem, iluminação, computação, e etc. As pessoas são levadas a perseguir um padrão de beleza mentiroso que é irreal e impossível de ser alcançado (a menos que você seja muito bom de computação ... rs...) - e que se você o alcançasse veria que era na verdade vaidade e aflição de espírito somente. O caso é sério, pois as pessoas caem em diversas crises por não terem a "beleza" do momento. E espiritualmente falando, na igreja, algumas vezes a mesma coisa acontece, as pessoas idealizam algumas figuras como "super-espirituais" e passam a querer ter a mesma "beleza" daquela galera sem nem saber que muitas das pessoas que talvez eu e você adimiramos muito na verdade são muito menos espirituais do que você ou eu imaginávamos e idolatrizávamos. Fazer uma imagem muito elevada de uma pessoa é muito chato e é justamente ai onde entram as redes sociais "gospel" milimetricamente sendo postadas para não causar escândalo, e trazer discórdia e isso e aquilo, e as pessoas simplesmente perdem a naturalidade de viver e de ser quem elas realmente são apenas na intenção de passar uma imagem de uma espiritualidade que elas não possuem, e que se de fato possuíssem ainda assim eu julgo que seria apenas uma caricatura da VERDADEIRA ESPIRITUALIDADE da parte de Deus.

Você consegue fingir uma "espiritualidade" por um tempo, mas uma hora você vai explodir! É muito difícil viver a vida quando você está fingindo ser alguém que você não é, seja lá qual motivo que te leva a fazer isso, seja a necessidade da aprovação dos homens, medo de não magoá-los, seja lá o que for. A religião tem este poder de destruir a vida de uma pessoa no sentido de levá-la a perder a naturalidade do viver, onde ela simplesmente tenha que viver uma vida onde "todos os seus movimento sejam friamente calculados". Essa é uma vida que não flui, que não glorifica a Cristo, que não se entrega ou simplesmente confia nele de peito aberto. Ser cristão é uma coisa, agora fingir ser bonzinho e bonitinho o tempo todo é outra totalmente diferente, isso é o mais puro veneno da hipocrisia, é uma vida espiritual falsificada. Por isso, tenham em mente que uma pessoa é muito mais do que o perfil dela numa rede social, há muitas outras coisas bem mais complexas do que aquilo que pode ser colocado para fora na internet, há muito no coração de um ser-humano que apenas Deus pode conhecer, então não julgue precipitadamente uma pessoa apenas pelo seu perfil na rede social, e também tenha cautela, se não quer exposição para a sua vida, não poste certas coisas nas redes sociais ou simplesmente não tenha um perfil lá. Há muitos cantores e pregadores que poderiam nunca ter perfil em rede social, e suas vidas seriam mais saudáveis se assim o fosse.

Bom, o assunto é bom, mas também é mais profundo do que escrevi acima, por aqui eu paro hoje!

Deus abençoe e todos!
Share on Google Plus

Sobre Altar de Arrependimento

Um site com mensagens sobre o Evangelho de Jesus Cristo, o qual é a minha recompensa e o que espero ter tanto nesta quanto depois desta vida.