A fase da jaula


Segunda, 19 de Junho de 2017
Dia do ano: 170
Devocional número 033

Uma vez li um escrito que dizia que muitos novos convertidos passam por um tipo de fase a qual ele classificou como "a fase da jaula". Este é um período no qual o novo convertido deveria ser trancado em uma jaula para o seu próprio bem e para o bem daqueles que estão próximos a ele! Durante esta fase da jaula, o recém convertido, ou recém despertado, está frequentemente zangado demais com a apostasia da igreja. Ele pode ser particularmente rancoroso com a tradição da qual ele veio, e ai daqueles que permanecerem naquela mesma tradição! Ele frequentemente vê os outros como intelectualmente inferiores (burros!), por não serem capazes de ver as mesmas verdades das escrituras que ele apenas recentemente foi capaz de enxergar. As vezes, diga-se de passagem são apenas "verdades" e não verdades. Alguns chegam ao ponto de fazerem piadas, no nível do sarcasmo ou zombaria contra os que não concordam com o seu ponto de vista. O nível de arrogância e orgulho a que alguém pode chegar durante esta fase da jaula é surpreendente demais para ser compreendido e feio demais para se observar.

O melhor em tais casos é simplesmente trancar a pessoa numa jaula para que ela possa se acalmar e amadurecer um pouco bastante na fé! Este tipo de recém convertido, na fase da jaula, tem normalmente um zelo excessivo, e um entendimento reduzido. Ser zeloso da verdade é sempre bom, mas o cristão na fase da jaula normalmente o manifesta através de uma amarga antipatia, e uma violenta impaciência. São pessoas que se tornam agressivas e agressoras, mas sempre julgam estarem na "defesa do evangelho". Cristãos nesta fase da jaula não conseguem sequer tomar um café com uma pessoa em paz, eles julgam que é seu dever pessoal transformar qualquer conversa, com qualquer pessoa, e a qualquer momento - mesmo os mais inoportunos - num debate a respeito das suas recém descobertas "verdades". Tais cristãos afastam muitas pessoas do evangelho verdadeiro, e passam uma imagem de que evangelho é desequilibrio, violência e fanatismo irracional. Eles não poupam conflitos inúteis com marido, esposa, família, amigos, irmãos, vivem a ferro e fogo para poder impor agressivamente e impacientemente seus pontos particulares de interpretação da escritura. Isso acontece com muitas pessoas, recém convertidos ao calvinismo, ao pré-tribulacionismo, teologia reformada, etc, etc, etc. Se tornam portanto briguentos por natureza, querendo forçar todas as pessoas a acreditarem no seu ponto de vista.

Tais cristãos são insistentes, veementes, inconvenientes e incansáveis na defesa das suas teses. Se tornam cegos. Falam muitas vezes em tom muito alto. Atropelam o Espírito Santo, passam na frente de Deus, tornam-se máquinas cegas de repreender a tudo e a todos em modo automático, até ao próprio Deus, eles não pensam para falar, passam na frente do Senhor o tempo todo, falam quando deveriam se calar, e se calam quando deveriam falar. Quase como se dissessem ao Senhor "fique quietinho ai Deus, que eu vou convencer esta pessoa da verdade, não é possível que ela não entenda!" Eles não permitem ao Espírito Santo fazer a sua obra, se irritam demais quando alguém não concorda com eles, acham um absurdo quando alguma pessoa não é convencida pela sua metralhadora giratória e descontrolada de versículos bíblicos. Eles querem fazer o papel de Espírito Santo, querem convencer os homens a força, e por fim acabam exaustos em todos os aspectos, tanto mentalmente, quanto moralmente, e mesmo espiritualmente falidos. Gastaram toda sua força tentando brigar com as pessoas e se esqueceram de Deus. Acabam estressados, sentindo-se impotentes, deprimidos, angústiados, nervosos, raivosos, etc, etc, etc. Desequilibrados, neuróticos, a lista é grande!

Eles ignoram o que Pedro disse a respeito de sermos mansos nas nossas respostas. Não compreendem a lição bíblica que ensina que a palavra deve ser dita ao seu tempo e não fora dele. Respondem precipitadamente e geralmente se intrometem o tempo todo em questões que não foram chamados, se intrometem na vida alheia, e são doidos e malucos para dar lição de moral na vida de todo mundo. Tais cristãos são neófitos (novatos) e ainda muito inexperientes e imaturos. Eles não conseguem ver alguém fazendo algo errado, o qual o seu censo de "santidade" reprova, que não conseguirão dormir em paz se não forem lá "repreender" o pecado da pessoa. Eles sempre pensam que estão negando a Deus se não soltarem a língua, mas frequentemente negam conhecê-lo de modo mais profundo justamente por abrirem as suas bocas de modo inconveniente e irrefletido. Nestes casos toda e qualquer conversa com algum cristão de outra tradição será imediatamente levada para o ponto da discórdia e controvérsia, por exemplo, um recém convertido que crê em um arrebatamento pós-tribulação, agora a missão da sua vida será defender este ponto de vista com tudo e com todos, a ferro e a fogo, quem não quer ouví-lo é burro, está cego espiritualmente, e assim por diante. Eu nem preciso explicar muito pois a maioria de nós sabe muito bem como funciona esta fase, e alguns graças a Deus já saíram dela!

Mas por favor, vamos sair todos, para dentro da jaula irmãos, corram!

Altar de Arrependimento.
Share on Google Plus

Sobre Altar de Arrependimento

Nosso intuito é pregar o Evangelho de Jesus Cristo gratuitamente, sem pedir ofertas, sem falar em dinheiro, levando o conhecimento de Cristo a todos de graça e pela graça que nos foi dada pela Cruz e pelo Sangue do Nosso Senhor Jesus. Nosso foco é preparar o caminho, preparar um povo para a volta do Senhor Jesus em Arrependimento e Santidade pelo Poder do Espírito Santo de Deus, para a Glória de Jesus e do Pai em Seu Filho Amado a quem nós também amamos, recebemos e ouvimos como Único Deus Senhor e Salvador.