Transformados pela Palavra


Nós precisamos entender que pregar o Evangelho as pessoas não consiste em pregar vestes. Pregue Jesus para as pessoas e não roupas. Apenas pregue a palavra e deixe que Jesus as transformará. Transformará de dentro para fora. As vezes por pressa em ver certos resultados visíveis do evangelho na vida das pessoas, ou simplesmente por não conhecer o fato de que não se deve exigir das pessoas que ainda estão começando a conhecer a Jesus que já tenham certo nível de entendimento que só será adquirido ao longo da caminhada, muitas pessoas tem dado as pessoas ao invés de Jesus Cristo apenas um monte de regras e mandamentos que não podem vivificar ninguém. Acontece que por vezes mal as pessoas começaram a conhecer ao Senhor e a impaciência de alguns mais "velhos de igreja" fará com que estes atropelem ao Espírito Santo, passando na frente do próprio Deus na questão da santificação das pessoas. Eles começarão deste modo a apressadamente, precipitadamente, impor um monte de regras e comportamentos sobrecarregando e matando assim os novos convertidos.

Deve-se dar tempo aos novos convertidos para que possam ir crescendo. Deve-se alimentá-los com a palavra de Deus para que possam ir crescendo. Nesta tarefa os pregadores devem orar pelas pessoas para quem pregam, e muito mais do que sobrecarregar os novos convertidos com um montão de coisas. Há quem esteja chegando ao ponto de até mesmo tentar impor os mandamentos de Jesus Cristo até mesmo a pessoas que nem cristãs ainda não são, como se ser cristão consistisse apenas em seguir e obedecer a um monte de preceitos exteriores quando na verdade ser cristão consiste muito mais e primeiramente na virtude interior recebida pela fé. É esta virtude que nos transformará, e é por isso que não basta seguir coisas exteriormente, tem que nascer de novo no seu interior.

Há muitas pessoas também que ao invés de pregar a Cristo estão pregando a placa da sua igreja, o nome do seu pastor, vestes, comportamentos, roupas, atitudes, e muitas outras coisas, quando na verdade as pessoas precisam de Jesus Cristo. Exaltem a mensagem da cruz de Cristo e chamem os homens para que possam voltar ao Senhor de todo o coração. Faça isso, exalte a cruz, e em breve as pessoas serão espirituais, começarão a ser transformadas, e os pecados sairão da igreja. Eu sei que ao pregar o evangelho acabamos por vezes repreendendo o pecado, mas mesmo assim, se feito pelo Espírito Santo é uma coisa, mas se feito pela precipitação da carne é outra. Não se deve usar a palavra para ferir as pessoas inutilmente, mas sim para curar. Não adianta nada você falar dos pecados dos outros se não der a elas o Remédio que é Jesus Cristo. Dê Jesus as pessoas e não a sua religião. Mostre Cristo nas suas atitudes e então as pessoas pode ser que darão crédito as suas palavras. Caso contrário você e eu apenas seremos mais uma contradição ambulante, pregando uma coisa e vivendo outra.

Saibamos que um dos nomes do Senhor é que Ele é o DEUS QUE NOS SANTIFICA, e se confiarmos nisso então confiaremos a santificação tanto nossa quanto dos outros a Deus.

Afinal de contas que é que tem poder de nos santificar?

Então pare de forçar as pessoas a fazerem aquilo que você quer, e quando possível as conduza a buscar fazer o querer de Deus.

Você talvez pode até pregar para as pessoas, mas não pode forçá-las senão as estará matando.

A fé das pessoas que foram forçadas a obedecer uma regra religiosa é normalmente fria e amarga, fazem por obrigação o que deveriam fazer por fé e amor, e por muitas vezes apenas estão sobrecarregadas com mandamentos de homens e não de Deus.

Tais pessoas até podem deixar de cometer determinadas práticas pecaminosas, mas se isso não for como fruto de uma conversão sobrenatural, no poder do Espírito Santo, e através do Evangelho do Senhor Jesus Cristo, então isso não terá valor algum para salvação desta alma. Pelo contrário, isso será o mesmo que o Senhor Jesus advertiu, tentar colocar vinho novo em odres velhos, o odre - seu coração - romperá, pois o coração velho não pode suportar o vinho novo do Espírito de Deus. Uma pessoa que ainda não nasceu de novo para determinado assunto do reino dos céus poderá até se forçar a comportar de determinada maneira, seguir uma lista enorme de podes ou não podes, viver certas privações, e mudar certos tipos de roupas exteriormente, mas ela mesma saberá que tudo não passa de uma farsa, ela não faz aquilo por amor, mas apenas pela imposição, e isso quer dizer - não houve arrependimento, quebrantamento, não houve ação do Espírito Santo, apenas uma ordenança e imposição religiosa que te levou a obedecer friamente um mandamento exterior, mas você nunca foi vivificado, nunca conheceu a virtude do Espírito Santo, nunca conheceu ao poder de Deus e a verdade que liberta no seu íntimo, e portanto mesmo quando você for pregar para outras pessoas o teu evangelho será contaminado pelo veneno da falsa piedade e falsa religião.

Será que há amor e alegria no teu serviço a Deus, ou tudo são apenas regras sobre regras e mandamentos sobre mandamentos, tudo exterior?

Tais eram os fariseus na época de Jesus, e tal padrão de conduta pode ter aparência de piedade na terra, mas não é o suficiente para o homem entrar no céu.

Para entrar no céu, somente o sacrifício de Jesus Cristo é suficiente, mais nada. Não permita que te ceguem para esta maravilhosa verdade que tem poder de te mudar.

Há que se considerar também que santidade é muito mais do que sair fora do evangelho do dinheiro e mudar o modo de se vestir. De que adiantaria fazermos estas coisas importantes exteriormente enquanto excluímos todos os demais mandamentos do Senhor? Mansidão, humildade, bondade, fidelidade, benignidade, domínio de si, paciência, graça, virtude, amor, pureza, alegria, ciência, poder, perdão, fé, piedade, misericórdia, justiça, retidão, equidade, caridade, verdade, diligência, zelo, entrega, renúncia, sabedoria. Na verdade a lista poderia continuar indefinidamente pois infinitas seriam as palavras para descrever as virtudes do próprio Cristo que os salvos deveriam cultivar e que receberíamos e viriam habitar em nós pela fé que nos foi dada. Os fariseus no antigo testamento também eram zelosos de uma série de pequenos mandamentos, eles até mesmo haviam misturado a lei de Deus criando para si mesmos uma outra série de mandamentos onde cultivavam extremo zelo. Mesmo assim, coando um mosquito e se atendo a pequenos detalhes acabaram engolindo um camelo como disse o próprio Cristo. E então aqueles que foram extremamente zelosos pela maneira exterior e pelo ritual do seu culto acabaram por se esquecer de limpar o seu interior, e sendo assim, tornaram-se sepulturas invisíveis aos homens. Eles eram de fato muito limpos por fora, mas dentro do seu coração, no interior, estavam cheios de ossos de mortos e toda espécie de imundícia.

Ora, Jesus nos disse que se a nossa justiça não excedesse a dos escribas e fariseus naquela época então jamais poderíamos entrar no reino dos céus. A justiça deles era apenas exterior e aparente, consistia apenas em obedecer exteriormente a mandamentos e rituais, muitos deles apenas inventados pelas mãos humanas. A obediência deles não era de coração, mas sim pela força e imposição humana. O culto deles não era em espírito e verdade, por amor e fé, mas sim pela força e pela violência. O fruto de tudo isso foi que acabaram ao invés de humilhando os seus coração perante o Senhor para obterem o seu favor, acabaram na verdade endurecendo os seus corações, tapando os seus ouvidos para não ouvirem com seus ouvidos, compreenderem com seus corações, se converteram a Deus e serem curados. Eles não aceitaram a repreensão do Senhor pois se acharam santos demais e irrepreensíveis. Eles que tomavam para si mesmos a chave da ciência, amavam ser chamados de mestres, e diziam a todos que tudo sabiam, no entanto eles mesmos eram obstáculos e empecilhos, ficavam na porta do reino dos céus e ao passo que não entravam também não permitiam que os outros entrassem. Os fariseus se tornaram pessoas amarguradas, não tinham alegria em servir ao Senhor, pois tudo que conheciam era apenas a truculência da obrigação em servir a Deus, a obrigação em ser santos, mas não tinham descoberto o amor de Deus para que tudo fizessem por amor.

Tal sentimento os levou até mesmo a planejar a morte do Salvador, assim como eles mesmos blasfemavam das pessoas que Jesus estava curando, chamando inclusive aquele povo que aceitou o Salvador de "plebe maldita que não sabe a lei". Tal tipo de sentimento mata Jesus Cristo e o mover do Espírito Santo na vida do cristão. Os fariseus pois achavam que sabiam tudo, mas Jesus então se foi e se voltou então para os pobres, os de espírito abatido, os contritos, os quebrantados, os que tinham amargura de coração mas desejavam ser livres. Deste modo o Senhor começou a trazer a existência novos filhos de Abraão, e aqueles corações de pedra, outrora mortos pelo pecado, agora se renasciam para viverem para sempre com o Filho de Deus. Eram prostitutas, ladrões, corruptos, gente pobre, comum, sem estudo, talvez os piores do mundo, mas neles Cristo demonstrava a sua graça, em que não dependia de quem queria, nem de quem corria, mas de Deus ter a compaixão. Graças damos a Deus, porque aprouve ao Pai dar o seu favor aos humildes, aos pequeninos, mas ocultar-se dos que se julgavam sábios e entendidos.

Jesus busca a fé que opera pelo amor, por causa disso, quando for evangelizar, dê Cristo as pessoas e não o veneno da sua religião, mesmo que ela leve o nome de cristã ela não tem poder de mudar as pessoas. Muitos estão cumprindo o seu próprio ide hoje em dia, o ide da sua religião cheia de morte e veneno, e não o ide de Jesus Cristo. Existe o ide dos afobados, os apressados, os que estão atropelando ao Espírito Santo, passando na frente de Deus, e por consequência estão matando e sobrecarregando as pessoas a quem deveriam evangelizar. Jesus disse que removeria o fardo, mas estes estão colocando o fardo com seu falso ide. Há também o ide verdadeiro, do Espírito Santo, praticado pelos que de verdade foram enviados por Deus. Estes são os que crucificaram a sua carne e sabem esperar no Senhor até que sejam enviados. Saiba que as pessoas não estão precisando da sua igreja, e nem do seu pastor, elas estão precisando de Deus. Dê Jesus a elas e espere, elas serão transformadas pela Palavra. Tire a sua mão desta obra, pois ela pertence ao Senhor teu Deus. Entrega pois o seu caminho ao Senhor, confia Nele, e o mais Ele fará.

"E Jesus, chamando um menino, o pôs no meio deles, E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus." Mateus 18:2-4

(...)

Share on Google Plus

Sobre Altar de Arrependimento

Nosso intuito é pregar o Evangelho de Jesus Cristo gratuitamente, sem pedir ofertas, sem falar em dinheiro, levando o conhecimento de Cristo a todos de graça e pela graça que nos foi dada pela Cruz e pelo Sangue do Nosso Senhor Jesus. Nosso foco é preparar o caminho, preparar um povo para a volta do Senhor Jesus em Arrependimento e Santidade pelo Poder do Espírito Santo de Deus, para a Glória de Jesus e do Pai em Seu Filho Amado a quem nós também amamos, recebemos e ouvimos como Único Deus Senhor e Salvador.