Aprendendo com os irmãos nas prisões solitárias - O Verdadeiro Cristianismo


Quando o Senhor me chamou para fora da igreja do Brasil eu demorei um pouco para entender o seu chamado. Até hoje eu aprendo a cada dia quais são as consequências de dizer sim para o Senhor. No começo o próprio Deus começou a abrir os meus olhos de que havia uma tremenda apostasia instaurada e reinando na igreja evangélica do Brasil. A proporção e dimensão desta apostasia que o Espírito me mostrou eram tão grandes que simplesmente não haveria espaço para crescer e amadurecer espiritualmente lá dentro. O preço a ser pago para se aprofundar mais na caminhada espiritual com Jesus Cristo era ser banido da igreja. Quando sai pensei que as coisas do lado de fora seriam mais tranquilas, mas ali estava apenas começando mais uma etapa do meu esmagamento, da minha morte para o meu próprio eu. No princípio cheguei a pensar que eu estaria seguro espiritualmente andando entre os que também haviam saído da igreja evangélica brasileira como eu. Nós conversávamos coisas parecidas pela internet, parecia que nos entendíamos, mas conforme o tempo foi passando na verdade houve um grande distanciamento e pude perceber mais claramente que grande parte dos que saíram não se mantiveram em Cristo por muito tempo. Muitos começaram a pregar coisas que mais suscitavam questões tolas do que traziam edificação que se baseia na fé.

Enfim, as coisas começaram a esquentar para o meu lado, e se por um lado abracei o chamado de Deus ao estilo Abraão "sai da tua terra e da tua parentela e vai para a terra que eu te mostrarei". Se por um lado eu sai sem saber para onde ia mas crendo que Deus me levaria, por outro lado eu tinha os meus próprios conceitos e devo ainda ter alguns, algumas teorias minhas a respeito de como Deus agiria e por onde me levaria. Eu pensava por um momento que Deus me guiaria a uma igreja perfeita, onde estivessem pregando a palavra com verdade. Sim, o Senhor até me levou a um pastor que foi tremendamente usado para edificar a minha vida e me alimentar na doutrina da santidade e da justiça, mas quando eu pensei em fincar as minhas raízes ali o Senhor veio até mim e me disse "não é ai o teu lugar, não foi ai que eu te chamei". Eu estava desesperado num ponto apenas tentando achar uma igreja, mas todas pareciam iguais, e aquela altura era tão clara a apostasia para mim que se tornara impossível congregar em paz numa igreja do Brasil. Eu chorei e até me desesperei porque eu queria ter uma igreja e irmãos para conversar, mas o Senhor estendeu novamente as suas cordas de amor e me atraiu para si mais uma vez, me levou ao deserto e ali falou ao meu coração. O Senhor me esclareceu que um dos maiores erros das pessoas que saem das igrejas hoje em dia é que elas saem e começam a buscar uma outra igreja, ou começam a buscar irmãos e conselheiros espirituais, mas não por Deus. Elas saem mas não suportam o tempo de espera e nem mesmo o silêncio e a solidão e então elas acabam indo se alimentar em qualquer lugar daquela comida que Deus não queria que elas se alimentassem.

Deus pode nos saciar de Cristo mas é necessário crermos Nele e que a nossa fé seja provada. Eu percebi claramente que mais importante do que buscar uma igreja é buscar a Deus. Eu percebi que Deus existe sem a igreja mas a igreja não existe sem Deus e era exatamente isso que eu estava tentando fazer, no meu desespero, tentava existir sem o Senhor. Até aparentemente religioso isso eu era, e apesar de no começo eu ter me irritado muito com os gritos que vinham de "dentro da igreja", me chamando de desviado e tudo mais, chegou uma hora que a ira humana cessou, e então eu parei de tentar empurrar a força nas pessoas aquilo que eu mesmo tinha recebido por graça da parte de Deus. Era muito grande a minha incoerência, pois eu recebi por graça mas queria que os outros recebessem por força, pela minha força, minha pobre e pouca força. Tentei evitar a solidão a todo custo, e não é que não tivessem me acontecido coisas boas dentro da igreja, sim aconteceram e muitas, como ainda acontecem coisas até hoje. Mas na doutrina de Deus os acertos não justificam os erros, e não é por causa das boas coisas de podemos ignorar as más coisas. Parece que quanto mais corria da solidão mais ligeira ela se tornava. Demorei infelizmente alguns anos a entender que era melhor estar sozinho com o Senhor do que acompanhado de multidão de pessoas sem Ele. Eu sempre fui ensinado que solidão era uma coisa ruim, negativa, e tudo mais, e é claro que tentei fazer a minha própria versão do que é solidão com Deus no deserto mas não deu certo, é claro. Quando eu finalmente entendi, eu entendi por graça, que na verdade seria muito duro para mim resistir ao chamamento de Deus que me queria sozinho. Tudo fez sentido naquele momento e eu percebi porque todas as coisas davam errado e porque quanto mais eu buscasse a companhia de seres-humanos mais eu me afastava deles.

Deus me queria a sós e então eu abracei a solidão do jeito de Deus. A solidão do meu jeito iria só me matar, talvez eu quisesse ficar num monte jejuando até morrer ou sei lá o que. Isso era desespero e não fé. Talvez nunca mais fosse falar bom dia para as pessoas, ou não ligar para mais ninguém, e isso era fugir e não acreditar. Não era isso, a solidão com Deus era diferente. Finalmente entendi, Deus não queria me dar uma igreja, Ele queria se revelar a mim, falar ao meu coração, que eu o conhecesse e soubesse quem Ele era! Deus só queria falar comigo, ser meu amigo, me ensinar a andar com Ele novamente depois de tanto tempo afastado, agora finalmente eu estava reconciliado, porém ainda precisando aprender muita coisa!

Neste momento o Senhor me trouxe o exemplo daqueles que por amor a Cristo enfrentaram prisões solitárias durante décadas na face desta terra. O Senhor me levou a China e a Rússia para conhecer a igreja perseguida e subterrânea e os seus mártires, e os presos por amor a Cristo. Das prisões solitárias da China comunista o Senhor me trouxe o alimento que eu precisava para compreender com maior profundidade qual seja o amor de Cristo. Quando a bíblia fala que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus isso é verdade. Se não fosse o comunismo ter perseguido estes meus irmãos como eu seria edificado e estaria aqui através de tremendo testemunhos como estes? Tais testemunhos só podem ser gerados em meio a fornalha da perseguição! Os mais lindos testemunhos da igreja de Cristo aconteceram em meio a perseguição! Nestas solitárias alguns de meus irmãos ali ficaram presos 40 anos, comendo mal, passando frio, fome, sede, doenças, enfermidades, desconfortáveis, sendo espancados. Muitos deles morreram nas solitárias, ali se deitaram, dormiram o sono dos justos após décadas de prisão. Não eram apenas alguns dias, meses ou anos como queria determinar a minha impaciência, mas eram vários e vários testemunhos de pessoas presas há décadas. Vinte anos, trinta anos, trinta e cinco, quarenta anos presos sozinhos, e eles não perderam a fé, saíam renovados. Um  deles descreveu a sua prisão como uma lua de mel de 30 anos com Jesus, e ali eles aprenderam o que só se aprende ali mesmo, na escola do Espírito Santo na prisão. Vários deles foram presos quando estavam no auge dos seus ministérios, pregando, evangelizando, ganhando milhares de almas para Cristo, e ali na prisão eles entenderam que Deus os queria e queria que eles o desejassem acima de tudo, inclusive acima dos dons e dos seus ministérios. Ali eles perceberam o quanto é fácil você ficar tão preocupado em pregar e ministrar que você se esqueça de que a sua prioridade é Jesus e não o ministério.

Qual era a ceia que eles tomavam? Isso o Senhor me perguntou! Onde eles davam dízimos nas prisões solitárias? Quem era o pastor e conselheiro deles quando tinham algum problema? Qual era a bíblia que eles liam? Onde eles congregavam? E então através destas simples questões contrastadas com o poderoso testemunho dos meus irmãos presos em solitárias chinesas foi que eu pude compreender, o Senhor acabará de esmagar diante de mim o falso cristianismo que impera em nossos dias aqui no Brasil. Ele me mostrou quão fútil, vazio, ritualístico, mecânico, morto se tornou o que chamam de culto a Deus na nossa nação. As pessoas não são mais cristãos, são frequentadores de igreja e as suas vidas giram em torno das suas igrejas visíveis, dos seus pastores visíveis, das suas ofertas visíveis, das suas congregações visíveis, da bíblia visível que eles leem no culto. O cristianismo na prisão solitária é totalmente diferente, eles não tem bíblias, ofertas, pastores, congregações, igrejas, mas aprendem na prática que a presença de Jesus Cristo é real e basta. Aprende-se na prática que a igreja se esqueceu que ela só precisa de Jesus Cristo. Não precisamos dos nossos rituais mortos, cultos mortos, orações mortas, leituras mortas, sem significado, precisamos de Deus, da vida de Deus correndo nas veias espirituais de nosso ser. É fácil a prisão solitária? Não. Ninguém quer ir para lá pois a luta ali travada é esmagadora. Mas os frutos e recompensas são eternos! Hoje nós fomos ensinados a depender de ceia, igreja, pastor, dízimos, conselheiros, cobertura espiritual, escolas bíblicas, etc, etc, etc mas na verdade na verdade, nós precisamos mesmo é de JESUS CRISTO.

Na solitária Cristo é a Ceia, e a congregação é em espírito e verdade, Cristo é o Pastor, o Espírito Santo é o Conselheiro, eles não podem ler a bíblia, mas podem ter comunhão com o Verbo de Deus, ali a oferta que eles tem para dar é a única que Deus quer, as suas próprias vidas como sacrifício de louvor e adoração em gratidão a Deus por ter nos entregue o Seu Filho para perdoar nossos pecados. Na solitária as coisas são mais simples e podemos perceber que muitas das coisas que nós mais valorizamos como símbolos do nosso cristianismo e sinais de salvação são na realidade sem valor algum no Reino Eterno de Deus. Pois este Evangelho é um Evangelho Eterno, das Coisas Eternas, não das terrenas. Na solitárias fica claro, aprendemos que o que vale é Cristo, o resto não pode nos salvar nem suster.

Ingrediente do deserto são um pouco amargos, espera, muita espera, renúncia, sofrimento, privação, silêncio, bastante silêncio, solidão, mas também alegria inefável quando você finalmente encontra que Cristo é tudo. Certa vez um evangelista chinês foi interrogado sobre qual conselho daria aos cristãos do ocidente. Ele disse algo mais ou menos como "no ocidente vocês dificilmente serão presos por causa de Jesus, mas vocês mesmos podem fazer uma prisão e se trancarem dentro dela por amor a Cristo." Ele estava falando a respeito de como temos desperdiçado a liberdade que nos é dada no ocidente, e que com toda a liberdade que temos devemos aproveitar isso para nos prender a CRISTO JESUS voluntariamente, mas não é o que temos feito.

Acorde! Você é a oferta, pare de chorar por não ter uma igreja, Jesus está a tua disposição!

A Graça e a Paz da parte de Deus e da de Jesus Cristo vos sejam multiplicadas!

Obrigado pela cruz Senhor Jesus!

(...)
Share on Google Plus

Sobre Altar de Arrependimento

Nosso intuito é pregar o Evangelho de Jesus Cristo gratuitamente, sem pedir ofertas, sem falar em dinheiro, levando o conhecimento de Cristo a todos de graça e pela graça que nos foi dada pela Cruz e pelo Sangue do Nosso Senhor Jesus. Nosso foco é preparar o caminho, preparar um povo para a volta do Senhor Jesus em Arrependimento e Santidade pelo Poder do Espírito Santo de Deus, para a Glória de Jesus e do Pai em Seu Filho Amado a quem nós também amamos, recebemos e ouvimos como Único Deus Senhor e Salvador.