Dízimos mensais? Realmente é isso que Jesus quer de mim?


Apesar do título desta mensagem eu não estou aqui para pregar sobre dízimos. Não estou pregando contra dízimos. Não estou pregando a favor de dízimos. Não estou falando de dízimos, estou falando contra o amor do dinheiro na igreja. Entretanto mesmo que este não seja o assunto me parece que nas cartas dos Apóstolos nenhum deles deu nenhuma recomendação preocupado com a arrecadação de dízimos mensais, mas em todas as cartas eles falaram sobre a cruz e o sangue do Senhor Jesus Cristo. Em todas as suas cartas eles sempre falaram da justiça, do zelo, do amor, da fé, da eternidade, do juízo, da salvação. Os Apóstolos não estavam preocupados com a arrecadação de dízimos mensais, mas eles estavam curando os enfermos e anunciando o evangelho de graça.

Algumas vezes alguém queria os ajudar, eles aceitavam, outras vezes nada lhes ofereciam, eles não amaldiçoavam. Em hipótese alguma eles pediam dinheiro para si. Pregar o evangelho é apenas obrigação, se o fizermos bem feito estamos apenas fazendo aquilo que nos foi imposto. Aqueles que saíram com a recomendação de dar de graça o que de graça receberam, como poderiam cobrar pelo evangelho que é gratuito? Mas eles foram confiando em Deus, virando o mundo de cabeça para baixo, e não vejo nem em Jesus Cristo e nem nas cartas dos Apóstolos esta preocupação para que as pessoas fossem dizimistas fieis. Eles estavam preocupados que as pessoas amassem a Jesus Cristo e não que engordassem eles.

O dízimo não é a questão, e hoje em dia até nas escolas bíblicas infantis tem envelopes de dízimo infantil em algumas igrejas, já corrompem as crianças desde pequenas e ensinam elas que a igreja depende do dinheiro, precisa do dinheiro, ama o dinheiro, é sustentada pelo dinheiro. A questão toda não é se dízimos é válido ou não, mas é a avareza e amor (avidez) por dinheiro que encontramos no púlpito da igreja atualmente. Debates se dizimo vale ou não para hoje normalmente não ajudam em nada. Em Cristo Jesus nem dar dízimo, nem não dar dízimo, tem valor algum, o que vale é ser uma nova criatura, que não ame dinheiro.

É por isso que os Apóstolos não pediam nada em hipótese alguma, e é por isso que nós assim procedemos até hoje, pois hoje transformaram algo que era tão lindo na igreja primitiva, onde os irmãos se ajudavam uns aos outros por amor, em um balcão de negócios, onde muitos pastores até mesmo ameaçam ao inferno quem não der nada. Por isso neste ministério (o de Jesus) não tem recolhimento de ofertas, não faz parte da "liturgia" dos cultos, não nos achamos melhores por isso, mais nada nos tem faltado. Esta preocupação toda com arrecadação de ofertas, com dízimos mensais que vemos atualmente só pode vir de gente gananciosa, amante de si mesma, amante do dinheiro, os verdadeiros servos de Deus confiam na provisão do Senhor.

Se alguém algum dia quiser contribuir com uma igreja esta pessoa pode fazer isso, isso é bíblico, mas desde que seja por amor, de livre vontade, de livre coração, sem pressão, sem coação, sem ameaça, sem pressão psicológica. Eu não estou escrevendo aqui para condenar nem os que dão e nem os que não querem dar, pois para Jesus isso não é importante, quando Ele voltar não vai adiantar nada quanto dinheiro você deu para a igreja, a única coisa que vai contar é se você está coberto com o Sangue daquela Cruz Sangrenta. Vamos valorizar o sangue de Jesus Cristo mais do que as preocupações materiais da igreja, e vamos amar ao Senhor. O Senhor vai tomar conta e cuidar de tudo.

Vamos colocar abaixo o amor do dinheiro na igreja do Senhor, não há modo de comercializar o Sangue de Jesus Cristo!

Quando a igreja esta comercializando o sangue de Jesus ela está ajudando o mundo a se esquecer mais rápido da cruz de Cristo!

(...)
Share on Google Plus

Sobre Altar de Arrependimento

Nosso intuito é pregar o Evangelho de Jesus Cristo gratuitamente, sem pedir ofertas, sem falar em dinheiro, levando o conhecimento de Cristo a todos de graça e pela graça que nos foi dada pela Cruz e pelo Sangue do Nosso Senhor Jesus. Nosso foco é preparar o caminho, preparar um povo para a volta do Senhor Jesus em Arrependimento e Santidade pelo Poder do Espírito Santo de Deus, para a Glória de Jesus e do Pai em Seu Filho Amado a quem nós também amamos, recebemos e ouvimos como Único Deus Senhor e Salvador.